Instalação de PFSense como Gateway de sua rede. – Made4it
Dashboard Personalizada e Gráficos de CDN por tempo – Novidades Made4Flow 24/02/2020
fevereiro 24, 2020
Criação de VPN utilizando PFSense e OpenVPN
março 25, 2020

Instalação de PFSense como Gateway de sua rede.

Nesse artigo, vamos abordar a instalação do servidor PFSense na sua rede, para que possa usufruir de todas as funcionalidades que essa plataforma possui, que vão desde Firewall e NATs, até Proxy e VPN, tudo em um servidor leve e simples de configurar.

Download do Instalador

O primeiro passo será acessar o site https://www.pfsense.org/download/ e definir a arquitetura e espelho que serão baixados. Para nossos propositos, utilizaremos a Arquitetura AMD64, utilizando o Instalador ‘CD Image (ISO)’, para subir como uma VM comum. O espelho pode ser o mais perto do seu local atual, caso esteja no Brasil, pode ser o de Nova York mesmo.

Selecionar a Arquitetura, Instalador e Mirror, conforme necessidade. Trabalharemos com o Instalador em ISO.
O Arquivo baixado será no formato ‘.gz’, para fins de compressão. Podemos utilizar o WinRAR ou 7zip, ou o compactador de sua preferência. Ao finalizar o download, basta extrair o arquivo para obter o .ISO que estará compactado.

Configurações da Máquina

Vamos seguir para a criação da VM. Nesse ponto, a máquina deve ser dimensionada de acordo com sua estrutra e o que será realizado nela. Quanto mais regras de Firewall/NAT, Proxy e recursos utilizados, e quantidade de Máquinas que o PFSense vai atender, maior a necessidade de recursos, mas de qualquer forma, não deverá ser nada muito pesado.
Para nossa instalação, irei utilizar uma VM com 1GB de RAM, utilizando de 8GB de Disco e um núcleo de processamento.

É importante que a máquina tenha sempre duas interfaces de rede, sendo uma WAN e uma LAN. A interface LAN, como o nome já diz, irá se conectar à rede interna, comunicando com a sua estrutura. Já a interface WAN irá se comunicar com a rede externa.

Dessa forma, o PFSense irá servir como Gateway para a estrutura interna, poderá atuar como DNS, Proxy, Firewall, DHCP Server, e todo o restante que o mesmo oferece.

Instalação

Após a VM estar preparada, vamos dar início na Instalação do PFSense. Para começarmos, basta fazer sua máquina dar boot utilizando a ISO que baixamos. Em caso de máquina física, basta gravar a ISO e inserir no Drive de CD, para que possamos fazer o boot através do Instalador.

Primeira tela ao Bootar a ISO do PFSense.

Na primeira tela, podemos concordar com os termos de Uso, então, selecionar a opção ‘Install’.

É importante estar de acordo com os termos para instalação.
Ao selecionar a opção ‘Install’, o PFSense irá seguir na com a instalação.

Após isso, será exibida uma tela para a seleção do formato de teclado atual. Basta escolher a opção ‘Brazilian’, caso o teclado seja ABNT-2, ou dar um ‘Continue’ em caso de teclado Americano/Internacional, que são os formatos mais comuns. Caso utilize outra estrutura de teclado, é só escolher a opção referente ao formato atual.

Selecionar a opção de Teclado que está utilizando no momento.

Escolhendo o mapeamento de teclas, podemos fazer o Particionamento de disco, nesse caso, podemos escolher a opção ‘Auto (UFS)’, que o instalador irá particionar automaticamente e instalar o Sistema com as configurações padrão.

A opção ‘Auto (UFS)’ faz todo o trabalho automaticamente, particionando e instalando o serviço.

Finalizando a instalação, podemos subir o Shell para editar algumas configurações manuais pontuais, ou rebootar a máquina para que o PfSense suba corretamente. Irei apenas rebootar a máquina e configurar após ele estar UP corretamente. Para isso, basta clicar em ‘No’, e então em ‘Reboot’. Lembrando de remover a ISO após encerrar o instalador.

A opção ‘No’ irá reiniciar a máquina, para subir o serviço do PFSense.
Selecionar a opção ‘reboot’ para os serviços serem restartados.

Caso tenha feito tudo corretamente, terá uma tela semelhante à essa:

Tela de Boas-Vindas do PFSense.

Caso queira alterar ou assignar o IP de acesso da máquina, pode selecionar a opção “2) Set interface(s) IP address” na CLI, então definir qual interface irá alterar.

Ao digitar o IP, definimos à máscara de sub-rede (1 a 31), e por fim, definir o gateway do server. Caso seja uma interface LAN, basta teclar ‘Enter’, visto que o gateway será apenas para a WAN.

O PFSense irá ‘perguntar’ se gostaria de utilizar IPv6 nele, e configurar um DHCP Server através dele, para que outras máquinas possam pegar IP automaticamente do PFSense na rede.

Interface de configuração de IP.

Configuração WEB

Com a parte da instalação estando finalizada, podemos partir para as configurações básicas na tela WEB, chamada de WebGUI.

Caso não consiga acesso na parte WEB, mas tenha ping para a máquina, basta selecionar a opção “8) Shell” e então rodar o comando “easyrule pass wan tcp x.x.x.x y.y.y.y 443” (substituindo x.x.x.x pelo seu IP e y.y.y.y pela máscara de sub-rede) para permitir o IP de origem especificado a acessar a tela WEB. Caso não tenha sucesso com o comando anterior, pode rodar o “pfSsh.php playback enableallowallwan“, que irá permitir TODAS as conexões na porta WAN.

É importante acessar e configurar o firewall bloqueando acesso logo em seguida, para evitar possíveis invasões no server!

Tendo acesso à tela WEB, basta logar no PfSense com o acesso padrão, sendo usuário “admin” e a senha “pfsense”. 

Tela padrão de login do PFSense. Por padrão, o acesso se dá com o usuário ‘admin’ e com a senha ‘pfsense’

Logo ao acessar pela primeira vez, um Wizard de configuração irá o auxiliar a configurar o servidor.

Primeiramente, basta dar <Next> para concordar com as informações. Chegando na tela de Configuração Geral, basta preencher com os dados pertinentes ao seu server (Hostname, Domínio, DNS Servers).

Primeira tela do Wizard. Algumas informações sobre a Netgate e seu Suporte.
Tela 2 de 9. Nessa tela, configuramos algumas informações gerais para o server, como Hostname e DNS.

Em seguida, selecionar o servidor NTP de horário e a Timezone. É importante que o horário esteja correto, pois o PFSense trabalha com algumas opções de Agendamento, assim como manter o horário correto, facilita na visualização de logs e análise de dados com Timestamp.

Tela 3 de 9. Nessa parte, configuramos o NTP do servidor, para manter o horário correto.

No passo 4/9, temos as configurações de rede.

Mais uma vez, basta preencher de acordo com o seu cenário atual. No fim desse passo tem duas opções muito importantes:

  • Block RFC1918 Private Networks: Essa opção irá bloquear acesso de IPs privados da RFC1918 na interface WAN. Com isso, apenas a LAN estará acessível à IPs privados.
  • Block bogon networks: Essa opção irá bloquear tráfego de bogons na interface WAN. Bogons, resumidamente, se tratam de IPs reservados não pertinentes à RFC1918, assim como IPs não alocados por orgãos de regulamentação.

Independente dessas opções, é sempre interessante filtrar a interface WAN à IPs de fora de seu conhecimento, para impedir ataques e invasões na sua infra-estrutura.

Tela 4 de 9. Algumas opções de rede importantes. É recomendado marcar ambas, para ter uma maior segurança.

No passo 5/9, temos a configuração da interface LAN, caso deseje fazer alguma alteração. Por padrão, essa interface atua como ‘Gateway’.

Tela 5 de 9. Configuração de IP na interface LAN, caso deseje alterar.

Para o passo 6/9, temos a alteração de senha do user ‘admin’. É extremamente recomendável a alteração, pois, a senha padrão acaba trazendo uma vulnerabilidade ao server e à toda a sua infra-estrutura.
Na sequência, o ‘Wizard’ irá aplicar o que foi feito e concluir as alterações. Basta clicar em ‘Finish’.

Tela 6 de 9. Alterar a senha de Administrador é sempre uma boa prática.
Tela 7 de 9. Basta clicar em ‘Reload’ para aplicar as alterações.
Tela 8 de 9. Informação de que suas configurações estão sendo salvas.
Tela 9 de 9. Tudo pronto!

Ao finalizar o Wizard, teremos nosso PFSense pronto para o uso!

Nos próximos posts. Iremos ensinar a criar uma VPN utilizando o PFSense, para que tenha acesso à sua Rede Interna, através de sua casa.

Obrigado e até os próximos Posts.

Adriano Elias de Souza
Consultor de TI
Made4it

Deixe uma resposta

1
Olá! Fale conosco via WhatsApp!
Powered by